Opções para escrever código

Já que ando numa de mudanças (CakePHP para Laravel, começar a usar testes para o meu código…) decidi também rever a aplicação que uso para escrever código. Queria principalmente decidir se continuava com um editor de texto normal ou se mudava para um IDE.

Estas foram as opções que considerei (incluindo a minha opção actual):

Editores de texto

Sublime Text

Tem sido a minha escolha (e a de muita gente). É aquilo que um editor de texto deve ser. Leve e fácil de usar mas ao mesmo tempo com funcionalidades capazes de quase rivalizar com um IDE.

Atom

O Atom, produto do GitHub, está em perseguição directa ao Sublime Text e é até bem possível que o venha a ultrapassar. Nota-se que é fortemente inspirado pelo Sublime Text e já rivaliza com ele em muitas funcionalidades. Mas ainda não está tão “polido” e em termos de recursos é mais pesado (pelo menos para já).

IDE’s

PhpStorm

Está para os IDE’s como o Sublime Text está para os editores de texto. É mais ou menos a escolha por defeito. Justificadamente, diga-se. Parece que não há nada que o PhpStorm não faça. Além disso parece ser o mais personalizável dos três que experimentei (O Laracasts tem um curso gratuito sobre o PhpStorm que demonstra bem todas as suas potencialidades).

NetBeans

O NetBeans foi a minha escolha durante os meus tempos de universidade. Na altura, para programar em Java. Não me parece que tenha mudado muito desde essa altura, o que não é, necessariamente, uma coisa má. A primeira coisa que me chamou a atenção foram as sugestões, para termos o código melhor formatado e mais legível. Por exemplo, se tivermos um bloco de código bastante indentado (isto é, dentro de outros blocos) ele sugere, como boa prática, mover esse código para uma nova função.

Embora tenha reparado que é demasiado rigoroso com os avisos e erros. Há até algumas situações em que mostra um erro em linhas de código que não têm problema nenhum, parece-me.

Eclipse

O Eclipse acabou por ser a revelação. Lembro-me dos tempos em que demorava cerca de 2 dias a iniciar e, desta vez, instalei-o apenas para ver como estava. Para surpresa minha, tempo de lançamento perfeitamente normal e memória usada dentro de um nível bastante bom para um IDE. O olho nu parece-me bastante comparável com os outros dois e isto já mostra uma grande evolução em relação ao que era.

Conclusão

Claro que gosto da simplicidade e rapidez de um editor de texto mas não há como negar que um IDE oferece funcionalidades fora do alcance de um editor de texto, que facilitam a escrita do código e poupam bastante tempo.

Fica a questão de que IDE usar. O PhpStorm seria a escolha óbvia, é claramente o mais evoluído dos três que experimentei. Mas é uma aplicação paga e, quando estamos a tentar iniciar uma startup via bootstrap, todos os euros contam.

Ainda estou um pouco indeciso entre o NetBeans e o Eclipse. O NetBeans parece ser mais robusto “out of the box” mas o Eclipse parece ser mais extensível através de plugins. Neste momento, talvez esteja um bocado mais inclinado para o Eclipse (quem diria?) mas acho que, para tirar as teimas, vou tentar usar cada um deles durante um período alargado de tempo (tipo 1 mês) e no fim ver com qual estou mais confortável.

Zé Cipriano
<p>Web developer independente (PHP, Laravel).</p>

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *